Mudando a rotina: passo a passo!

 Estamos quase no final de janeiro, o ano-novo ainda se espreguiçando, devagar, meio morno, como se estivesse se aquecendo para a maratona que está por começar, geralmente a partir de meados de fevereiro.

Muitos de nós fazemos um ritual quase sagrado em toda virada de ano: uma lista de desejos, promessas e votos para o ano que se inicia. Entre as promessas mais populares, como emagrecer, não deixar mais trabalhos para a última hora, se organizar melhor, sair mais, ler mais, fazer um curso, economizar, etc etc, existem algumas metas mais particulares, coerentes com a rotina, desejos e necessidades de cada um.

E é engraçado como a virada do ano nos dá toda uma energia, uma promessa de renovação que faz com que a gente acredite que todas essas mudanças são possíveis, e como a gente não vê a hora de alcançar todas as nossas metas, começamos a fazer tudo junto. A matrícula na academia, a organização da escrivaninha, a dieta, parar de fumar, ligar mais para os amigos, visitar familiares, ajudar uma ONG e até tirar o pó daqueles 8 livros que estão há tempos jogados na estante.

Mas o tempo vai passando, e como nosso padrão de pensamento não acompanhou a velocidade de tanta mudança de comportamento, aos poucos a gente vai esquecendo de ler as cinco páginas toda noite como prometido, exagera nas frituras no final de semana, fica horas vagando inutilmente nas redes sociais e vai deixando para responder os e-mails amanhã.. amanhã… e quando nos damos conta, estamos exatamente como estávamos em novembro de 2011.

O que aconteceu? Será que as promessas de ano novo são lenda? Uma auto-enganação anual pela qual quase toda humanidade passa?

Será que não queremos mesmo melhorar, ou não sabemos como melhorar?

Minha aposta é na segunda opção.

Se tudo na vida é um processo,

repito

se tudo na vida é um

P .  R.   O.   C.   E.  S.   S.  O.

isso significa que tudo tem um tempo e um ritmo para acontecerem (pelo menos na dimensão em que vivemos).

Para que possamos mudar nossa rotina, não basta mudar nosso comportamento. É preciso mudar nosso pensamento, nossas emoções e nossas atitudes.

(é novo por aqui? então entenda melhor o que eu quero dizer com isso lendo aqui)

E isso, com raras exceções, não acontece de forma tão rápida. É preciso de um tempo. Tempo para nos acostumar com uma novos comportamentos, tempo para que aquilo que é novo e estranho aos nossos padrões se torne familiar e se transforme, DE FATO, em uma rotina.

E nesse momento cabe a pergunta de ouro: #comofaz?

Bem, não existe receita mágica para mudança de rotina, para nos tornarmos a versão melhorada do que somos “estamos”.

Mas existem umas dicas, simples e muito eficazes, que podem nos ajudar bastante.

Compreendendo que mudanças são um PROCESSO

P .  R.   O.   C.   E.  S.   S.  O.

faça o seguinte:

  1. Escreva no seu caderno (ipad, agenda, diário) uma lista do que você quer para 2012.
  2. Coloque os itens numa escala, obedecendo os seguintes critérios: A) o que é mais urgente B) o que é mais prazeroso C) o que é mais fácil D) o que é mais trabalhoso
  3. Inicie com o PRIMEIRO item da lista, e comece a incorporá-lo nas suas atividades diárias, de forma gradual. Por exemplo, se você precisa urgentemente fazer exercício físico por algum problema de saúde, não adianta querer fazer uma hora de academia todo dia pois você se cansará rapidamente. Comece fazendo apenas duas vezes por semana. Manteve essa rotina por umas três semanas consecutivas, sem faltar? Ótimo, aumente para 3 vezes por semana. Manteve por um mês esse ritmo? Ótimo, agora pode aumentar para 4x por semana, se você quiser, e assim por diante. O importante é começar de forma gradual e aumentar a dose quando o mínimo foi alcançado e incorporado como rotineiro.
  4. Tendo conquistado o primeiro item da lista, parta para o segundo, e assim por diante.
  5. Não pule etapas. Só acrescente um novo item da lista quando o anterior estiver bem estabelecido.

Dessa maneira você percebe que, através de pequenas mudanças que não demandam muito esforço, sua mente e suas emoções conseguem acompanhar e analisar/sentir os benefícios da mudança, e tudo fica muito mais fácil.

ATENÇÃO: se por um acaso a sua agenda já estiver cheia de atividades e com pouco tempo livre, você precisa acrescentar uma regra antes de iniciar as etapas descritas anteriormente:

>> lembre-se que para cada projeto novo, um antigo precisa “morrer” <<

Ou seja, se você quer fazer uma nova atividade, mas a agenda está lotada, você precisa deixar de fazer algo para encaixar o que está por vir.

Se você só tem 3 horas livres por semana, não adianta querer fazer curso de desenho, dança, aula de inglês e comprar um cachorro. Doses de realismo e praticidade não fazem mal a ninguém. 😉

Então, mãos à obra, e que 2012 seja de fato o fim de um mundo de justificativas e desculpas para a gente não ser aquilo que realmente queremos ser.

😉

Anúncios