Tenho que estudar tudo!

Eu havia prometido para um ex aluno meu de orientação profissional que o meu próximo post seria destinado a ele, em função de uma dúvida e uma angústia que ele compartilhou comigo e percebo cada vez mais recorrente entre adolescentes, vestibulandos e até mesmo universitários em geral.

A ideia de que precisam estudar tudo, e a angústia que isso causa.

É claro que a quantidade de matéria a ser estudada para um vestibular, uma prova de concurso, ou uma monografia de conclusão de curso tende ao infinito. Enquanto que, para uma prova específica da escola ou da faculdade você precisa estudar páginas ou capítulos específicos, para o vestibular, por exemplo, você precisa dominar “Biologia“, e não os capítulos 7 e 8 do livro dois.

O problema está em como a gente organiza e PENSA, a nossa rotina/meta/hábito de estudo, ali, no dia a dia, naquela terça friorenta em que você está em casa, o MSN e o face te seduzindo e você pensa, no auge de determinação, responsabilidade e luz cósmica que invade sua consciência:

Eu vou estudar!

E você se dirige à sua mesa, olha aquela montanha de livros, apostilas e rabiscos no caderno e não sabe por onde começar. Pega a matéria que teve no dia, ou uma apostila aleatória, começa a ler, e vai ficando angustiado. Não vai dar tempo!! É muita coisa! Tenho que estudar tudo!

Você passa algumas horas estudando e capota, com uma sensação de derrota, afinal, não conseguiu o que precisava, que era estudar tudo.

Percebem como é impossível sair satisfeito quando a meta é algo inatingível?

Estudar tudo? Tudo o quê? Quanto é tudo? Quantas horas por dia você tem, de verdade, para estudar? Quatro horas? Dá para estudar TUDO de qualquer coisa em quatro horas?

Aliás… dá pra estudar tudo de alguma coisa em uma vida?? 😉

Cuidado com as armadilhas da nossa mente, afinal, o cérebro responde à palavra.

A sensação de derrota e angústia vão continuar te perseguindo enquanto a sua meta for algo impossível, impraticável, e sem formas de avaliar o quanto você está caminhando… afinal, se preciso estudar tudo, quando é que você vai sentir o gostinho do “terminei”?

Insisto: elabore um roteiro de estudo. Faça algum planejamento, um que se encaixe na sua realidade e no seu perfil. Já postei algumas dicas nesse blog, mas existem outras tantas formas de estudar! O importante é se organizar e colocar metas realistas, simples e mensuráveis. Diga a você mesmo: hoje vou estudar o capítulo 11 e 12, e fazer os exercícios da atividade 15. Pronto! Você já tem o que fazer, no que se aprofundar, e tem hora certa para encerrar sua atividade.

Sabe o gostinho que dá?

De competência e eficiência.

E isso sim é um dos melhores estimulantes para o estudo. 😉

Anúncios