Mantendo as resoluções para o novo ano

Image

Resoluções de ano novo são decisões que tomamos, tendo como base, geralmente, o que não andou funcionando nos últimos tempos e aquelas suas metas esquecidas, engolidas pelo monstro do dia a dia, que costuma se alimentar de sonhos alheios.

Geralmente as resoluções são elaboradas com entusiasmo, na esperança de que possamos manifestar nos próximos meses a versão melhorada de nós mesmos.

Mas logo aparece o monstro do cotidiano e a nossa nova lista vai ficando para trás…

Depois eu vejo isso”

“Estou sem tempo”

“Ah, não consigo mudar mesmo, bobagem insistir”

“Nem era tão importante”

“Dá muito trabalho”

Esses pensamentos lhe são familiares?

De-cisão.

Cindir. Separar. Cortar. Divergir.

Sempre que decidimos por algo, deixamos outro algo para trás. Escolher significa abdicar. 

Se você escolhe emagrecer, você precisa abdicar de um estilo de vida mais relaxado.

Se você escolhe progredir na carreira, precisa abdicar das saídas de todos os finais de semana.

Se você escolhe sair de casa, precisa abdicar do conforto de morar com os pais.

E é justamente quando a gente se depara com aquilo que precisamos deixar para trás..

   velhos hábitos

                        velhas desculpas

                               velhas crenças

                                         velhos rancores

                                              velhas irritações

… que nos defrontamos com nossa grande encruzilhada: qual caminho escolher?

É sempre uma questão de escolha.

O que você anda escolhendo para você? Você recomendaria a seu melhor amigo as escolhas que está fazendo? Elas refletem o que há de melhor em você?

Quando você for repensar as suas metas para esse ano, pense nas implicações de cada de-cisão. Reforce porque vale a pena. Enfrente o luto de deixar uma parte de você para trás.

A evolução pessoal exige isso.

Por que não experimentar?

Anúncios

4 comentários sobre “Mantendo as resoluções para o novo ano

  1. Ando utilizando uma estratégia muito boa para mudar velhos hábitos que um dia se tornaram uma escolha: pensar na decisão a longo prazo na vida de outra pessoa. Algo como o que você falou sobre “se você desse um conselho para seu melhor amigo”. Tem funcionado por enquanto. Parabéns pelo texto, Nina 🙂

  2. Ingo disse:

    Adorei!
    E como é difícil escolher (ao menos para mim)… realmente, é preciso ter a consciência de que algo vai ficar de fora, não dá para ter tudo mesmo!
    Mas a busca pela “versão melhorada de nós mesmos” (fantástico!!!) não pode parar… um viva! às resoluções de ano novo!!!

    • Obrigada Ingo! Eu gosto muito dessa expressão, e tento lembrar dela com frequencia….. para poder manifestar o que há de melhor em mim.. (nem sempre consigo, mas estou na caminhada, rsrs)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s