Escolhi uma profissão: aprendendo a relaxar


Depois de um processo não necessariamente longo, mas fundamentalmente aprofundado de autoconhecimento, somado com a busca de informações acerca das profissões existentes hoje no mercado, você acaba optando por uma carreira. Você constrói seu foco. E agora?

Bem, o próximo passo é preparar uma rotina de estudos coerente com seu objetivo, bem como ter um estilo de vida que lhe permita realizar o processo seletivo de forma mais tranquila possível.

Aprender a dominar a relação mente-coração não é uma tarefa tão difícil ou impossível quanto parece. A questão é que são poucas as pessoas que dão o devido valor a aquisição dessa habilidade. Embora muito se fale da necessidade de você ser uma pessoa madura emocionalmente, ter autocontrole e saber lidar com as suas emoções (como diriam os mais jovens, saber “segurar a onda”), quanto se investe – de fato – no treino dessa competência? Ou você acredita mesmo que dominar nossos instintos e usar a emoção a nosso favor é algo inato, que as pessoas já deveriam saber fazer isso, independentemente de exercícios prévios? Ledo engano.

Estamos envolvidos em uma cultura que valoriza, há alguns séculos, o raciocínio, o aspecto mental do ser humano. Enfatizamos a lógica binária, quadrada, previsível. E exercitamos isso, durante anos nas instituições de ensino formais. Aprendemos que devemos exercitar meios de usar o cérebro, e a maioria do conteúdo escolar/acadêmico é utilizado para esse fim. Até aqui, sem grandes mistérios… O problema começa quando se acredita que exercitar o mental é necessário e importante. É preciso também conhecer, exercitar e aperfeiçoar nossos sentimentos.

Como?

Calibrando corpo e mente.

Como?

Dando atenção aos cuidados básicos do corpo, como alimentação (evite excessos, só isso), sono (aprenda a dormir bem) e exercícios físicos. Isso não é novidade para ninguém, não é mesmo? Mas será que a gente leva a sério essas dicas?

Os cuidados com o corpo afetam diretamente a tranquilidade da mente. E uma mente sã, afeta diretamente a nossa atitude com o nosso corpo.

Algumas dicas práticas:

a) Respire. Aprenda a respirar corretamente, vagarosamente, de preferência com o diafragma, que acaba inspirando mais ar e estimulado o nervo vago, um dos grandes protagonistas do sistema parassimpático,  que por sua vez é o nosso botãozinho de desliga do corpo. Quando ansiosos, nossa respiração fica mais superficial e rápida, observe.

b) Medite. Através do yoga, da arte, da música, de uma oração, de um mestre, de uma escola ocultista, de um centro budista, não importa, mas aprenda o que é meditação e medite. Já existem uma série de estudos científicos comprovando os inúmeros efeitos da meditação na saúde do corpo e da mente, principalmente por causa do seu efeito relaxante. Não sabe o que é meditar ou onde você poderia aprender/treinar essa habilidade? É nessas horas que você deve apelar para o Santo Google. Mas fica aqui uma ótima dica.

c) Faça massagens. Pelo menos uma vez ao mês, se dê de presente uma ótima massagem relaxante. Você sairá de lá renovado. Não acredita? Teste. Principalmente nos dias que antecedem uma prova ou uma entrevista importante. Você relaxa na marra! rsrsrs

d) Aprenda a se distrair. Com livros, gibis, vídeos fofinhos na internet, batendo papo com um(a) amigo(a), dando uma caminhada no parque. Esses são exemplos de algumas atividades que não só relaxam, mas muitas vezes aumenta nosso ânimo. Tentar se distrair com comida (doces) ou álcool muitas vezes acarreta em um efeito contrário.

e) Foque no ponto positivo da situação. Nosso estresse aumenta quando nossos pensamentos estão focados, quase de forma obsessiva, nos aspectos negativos, no custo e no possível perigo-dano de uma situação. É possível que você esteja exagerando e deixando de enxergar tantos outros aspectos positivos, benéficos ou até mesmo neutros dessa mesma situação. Flexibilize sua mente e sua percepção.

f) Ame mais. Principalmente a si mesmo.

Anúncios

2 comentários sobre “Escolhi uma profissão: aprendendo a relaxar

  1. Laura disse:

    Nina, eu estudo muito, mas sempre que se aproxima os dias das provas da faculdade, fico nervosa, tensa. Isso pode atrapalhar meu rendimento e minhas notas nas avaliações?
    Parabéns pelo Blog. Não perco um post. Adoro!!!

    • Oi Laura! Obrigada pelo carinho!
      Bem, eu imagino que você já esteja sentindo o efeito dessa ansiedade toda nas suas provas, ou? Será que se você conseguisse relaxar um pouco mais, suas notas e o mais importante – seu aproveitamento – não seriam melhores? 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s