Transtorno Bipolar: o último grito da moda

Transtorno Bipolar do Humor, provavelmente você já ouviu esse nome. À primeira vista, o termo bipolar nos remete a polaridade e facilmente entendemos que deve ser algo relacionado com oscilação do humor.

  E aqui encontramos o primeiro problema:  você  conhece alguém cujo humor não  oscila?  Tem dias que você acorda bem  disposto,  alegre, acreditando que aquela  quarta será  linda e que você será capaz de  encarar os desafios. Mas também há  aqueles momentos onde tudo está cinza e  você igualmente  ranzinza.  Sua autoconfiança está  diminuída, seus  pensamentos são mais  negativos e você  não gostaria de sair da cama.

Se você se encaixa no perfil acima,  parabéns, você se enquadra no padrão  aceito como normal para a saúde mental.

Se “penso, logo sinto“, podemos concluir que, de acordo com as oscilações dos meus pensamentos (ideias, crenças e decisões), meu humor mudará. Vou dançar conforme a música ditada pela minha mente.

Isso não é transtorno bipolar. Isso é a condição básica da mente humana.

Mas então, o que é transtorno bipolar?

É um transtorno mental, caracterizado pela presença de episódios alternados de depressão (episódio depressivo maior) e mania.

Atenção: depressão não é tristeza. É uma condição clínica, que varia de graus (leve – moderado – grave), cujos principais sintomas são:

  • excesso de culpa
  • humor rebaixado (irritado ou deprimido)
  • alteração no padrão de sono e apetite
  • fadiga (para fazer qualquer atividade demanda muito esforço)
  • indiferença (atividades e/ou pessoas que me interessavam não me interessam mais)
  • autocrítica excessiva
  • desânimo
  • sentimento de inutilidade
  • capacidade diminuída de pensar ou concentrar-se
Se você se identifica apresentando – pelo menos – cinco desses sintomas na maior parte dos dias,  sugiro conversar com alguém especializado, você pode estar deprimido ou em processo de desenvolver uma depressão.
Mas, para ganhar o diagnóstico de Transtorno BIPOLAR, é preciso que, além da depressão, você tenha episódios de mania.
Em psicopatologia, mania não é sua tendência de só usar roupa preta. Ou de sempre deitar do lado direito da cama, usar o mesmo sabonete ou bater na madeira se alguém diz algo mais negativo.
Mania é um episódio onde o humor da pessoa permanece de forma
persistentemente elevado,
podendo inclusive levar a hospitalização.
Os sintomas comuns de um episódio maníaco são:
  • autoestima inflada ou sentimentos de grandiosidade (eu sou a melhor psicóloga da América do Sul e com certeza meus posts ganharão notoriedade internacional, porque ninguém é tão boa como eu)
  • necessidade de sono diminuída (3 horas de sono é mais que suficiente, e eu acordo pulando)
  • pressão por falar (eunãoparodefalarumminutosobreosmaisdiversosassuntos)
  • fuga de ideias (sensação que os pensamentos estão correndo, afinal eu não fui para a academia hoje, fora o episódio do Glee que eu perdi, mas porque diabos a velocidade máxima baixou para 60 na Radial Leste?)
  • aumento da atividade dirigida a objetivos (eu começo 9 projetos ao mesmo tempo, resolvo fazer uma reforma na minha casa, busco novos parceiros sexuais 4 dias da semana, etc…)
  • a acentuação do humor é suficientemente significativa a ponto de atrapalhar meu funcionamento social, afetivo, ocupacional, etc…
  • presença de alucinações ou delírios
Vejam que é mais grave do que costumeiramente imaginamos. Uma pessoa em um episódio maníaco pode gastar todas as suas reservas financeiras, pois acredita que um dos 9 projetos que ela inicia ganhará uma comissão ou um prêmio especial milionário. E não, não estou fazendo uma piada. É assim mesmo.
Durante essa fase o paciente está se sentindo super bem!!! Raramente ele busca ajuda profissional durante uma fase maníaca. Ele está produtivo, se sentindo o máximo, trabalhando como nunca antes na história desse país. O problema é que ele não consegue perceber o quão “over” ele se encontra.
Sendo assim, um paciente bipolar geralmenta aparece na clínica quando está deprimido. Nessa fase, ou ele mal se lembra da sua fase maníaca (que pode ter ocorrido há muito tempo atrás), ou então suas memórias estão negativamente afetadas pela depressão e o mesmo distorce os fatos.
Esse é um distúrbio grave, que exige uma atenção maior de psicólogos e psiquiatras, além da atenção da família.
Não é comum. Não é legal. E não combina em nada com o mundo alegre e fashion da moda.
Anúncios

Um comentário sobre “Transtorno Bipolar: o último grito da moda

  1. Patricia Luzia Becker disse:

    UFA !! Descobri que sou normal… apesar de acordar um dia no CÉU e um dia na BAD rsrs !!

    E parabéns pela postagem. Adoro seu jeito de escrever, deixando atrativos e divertidos temas tão complexos da nossa área, sem perder a “densidade” dos assuntos que aborda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s