Como é uma sessão psicoterapêutica?

Depende.

Infelizmente, como quase tudo em psicologia, depende da abordagem teórica que o profissional utiliza, bem como características pessoais do mesmo.

E na Psicologia há uma diversidade de teorias e técnicas. Além da Terapia Cognitiva (que é o foco desse blog), temos ainda a abordagem Comportamental (Behaviorista), a Psicanálise, a Gestalt, Existencial, Humanista, Fenomenológica, e assim por diante.

A Terapia Cognitiva tem como princípio básico a condução de sessões estruturadas que seguem um planejamento. Esse planejamento é contruído através das metas do paciente e  metas terapêuticas, e tem início, meio e fim. Para casos padrão (transtornos do humor em geral ou dificuldades específicas) o tempo da terapia é de 3 até 6 meses, em média. Para casos mais graves ou crônicos, a terapia pode se estender até um ano, ou um ano e meio.

Em um primeiro encontro o objetivo principal é conhecer um pouco da história do paciente, o motivo que o levou a buscar auxílio psicológico e como andam suas áreas de vida (profissional, pessoal, afetiva, saúde, acadêmica, financeira, etc..). Em um segundo momento, o terapeuta explica como funciona o modelo cognitivo e a terapia propriamente dita. Levantam-se as expectativas do cliente e é solicitado um feedback: como foi essa sessão para você?

A partir desse momento o cliente tem liberdade e informações suficientes para optar em seguir um tratamento, ou não.

Caso ele decida dar continuidade ao processo, as próximas sessões (semanais) tendem a manter o seguinte roteiro: faz-se inicialmente uma avaliação do humor (com escalas padronizadas ou simplesmeente perguntando sobre oscilações do humor durante a semana), são retomados os tópicos da sessão anterior, revistas as “tarefas de casa” e estabelecida uma agenda. A agenda é uma espécie de “pauta do dia”: que assuntos são importantes serem discutidos naquela hora? O que não pode ser deixado para depois?

A agenda é muito útil para organização e otimização do tempo. Não só na terapia, mas na vida em geral. 😉

Ao final da sessão são revistos os tópicos trabalhados, analisada, em conjunto, a necessidade de se propor algum atividade para a semana e o terapeuta pede um feedback para o paciente.

Mas é preciso recontar todo o meu passado???

Não necessariamente. Em algumas sessões é possível que pontos específicos da tragetória de vida do paciente sejam levantados, mas isso será decidido em conjunto e colocado na agenda.

E a alta? Como ocorre?

Aos poucos. A partir do momento que o cliente está atingindo todas as suas metas propostas no início da terapia, que seu humor já esteja estabilizado, as sessões começam a ser quinzenais. Se tudo continua ok, o terapeuta pede para ver o cliente daqui um mês………..três meses……….. e após 6 meses é estabelecido mais um contato para garantir que o paciente esteja conduzindo sua vida de forma autônoma e plena.

Afinal, terapia não faz com que você não tenha mais problemas, mas te dá subsídios para que você consiga enfrentar de forma saudável e inteligente, as vicissitudes da vida. Ou seja, vencer obstáculos, de acordo com suas capacidades, habilidades, condições e aprendizagem.


Anúncios

2 comentários sobre “Como é uma sessão psicoterapêutica?

  1. Camila disse:

    Nossa… só depois que vamos ao psicólogo é que vemos o quanto nos ajuda e o quanto é importante!
    Muito interessante o texto! Muito bom…
    Bjos

  2. gabriela oltramari disse:

    Oi Nina.
    Adorei o texto.
    Super extra totalmente esclarecedor e acessível.
    Bjkas
    Aliás o seu blog dá um banho!
    kikik

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s